EYESonTRAPS

IMPACTO

Agilizar a gestão da produção

DESCRIÇÃO

Consciente da importância de dotar as suas vinhas de sustentabilidade, há mais de 20 anos que a Sogrape aplica o modo de produção integrada em toda a sua área de produção em Portugal. A avaliação da pressão colocada pelas diversas doenças e pragas da videira é um dos componentes essenciais deste sistema, para garantir que o seu controlo apenas se executa quando os estragos potenciais ultrapassam limites que prejudicam a viabilidade da cultura. Este controlo, sobretudo a nível de insetos (parasitas diretos ou portadores de doenças), torna-se mais complexo por efeito das alterações climáticas que alteram a ligação entre os ciclos da videira e das espécies que dela se alimentam , além de promover o aparecimento de novas pragas, algumas de grande risco como é o caso da flavescência dourada, cujo agente infecioso é propagado de planta em planta por uma espécie de traça.

EYESonTRAP irá desenvolver uma aplicação para telemóvel que irá detetar e contabilizar automaticamente os insetos capturados em armadilhas, um trabalho hoje realizado manualmente. A forma mais expedita e eficaz com que os dados serão recolhidos permitirá multiplicar os pontos de amostragem e usar uma mesma base de dados, melhorando significativamente a capacidade de seguir a evolução da incidência das pragas. Um portal online para técnicos especialistas será desenvolvido para lhes permitir acesso integrado aos dados, analisá-los e emitir recomendações (como por exemplo aguardar ou executar um tratamento) que serão recebidas em tempo útil pelos viticultores nos seus telemóveis. O sistema informático terá uma arquitetura modular que lhe permitirá incorporar novas pragas que venham a emergir no futuro.

O projeto que teve início em setembro de 2019 e terá uma duração de 2 anos, está a ser desenvolvido em parceria com a GeoDOURO (empresa líder do consórcio), a ADVID (Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense) e o Instituto Fraunhofer Portugal, é financiado pelo programa nacional Portugal 2020, e terá um investimento de cerca de 400 mil euros. Parte dos seus ensaios são realizados nas vinhas da SOGRAPE na Região Demarcada do Douro.