MIDIVINE

IMPACTO

Adotar soluções baseadas na natureza

DESCRIÇÃO

As atuais mudanças do clima, incluindo secas recorrentes nos países mediterrâneos, tornam-se uma enorme ameaça à produção de uva, segurança alimentar e rendimentos dos agricultores nesta região. Um verdadeiro desafio é atualmente a evolução para sistemas de produção sustentáveis que combinem viabilidade económica com práticas ecológicas. Usar e gerir a diversidade de microrganismos com práticas vitivinícolas adequadas está entre as mais promissoras e inovadoras oportunidades do sistema agrícola. A manipulação desse microbioma vegetal tem grande potencial para reduzir a incidência de doenças, promover o crescimento vegetal e a aptidão produtiva das plantas mesmo sob condições de stresse.

O projeto MiDiVine visa desenvolver conhecimentos, ferramentas e abordagens integradas baseadas nos recursos genéticos da videira e em práticas agrícolas que promovam a diversidade microbiana funcional (DMF) para melhorar a produção e a resistência da videira contra as suas principais doenças: podridão cinzenta, míldio e esca) sob condições de stresse por seca, reduzindo assim o recurso a produtos de proteção nas vinhas.

O projeto analisará o impacto do genótipo da videira, tipo de solo e práticas agrícolas (uso de cobertos e plantas funcionais) na DMF e na sua eficiência de proteção. Espera-se obter uma solução inovadora e sustentável para melhorar os serviços do agroecossistema, gerindo os microrganismos do solo e usando cultivos consociados típicos dos países mediterrânicos.

O projeto é coordenado pela Universidade de Reims Champagne-Ardennes, conta com um consórcio de 9 entidades de França, Portugal, Espanha, Marrocos, Tunísia e território britânico de Akrotiri-Dhekelia no Chipre. É financiado pelo PRIMA, um subprograma do programa estrutural Horizonte 2020 da União Europeia, com um orçamento aprovado de 820 mil euros e execução até maio de 2024. A Sogrape desempenha papel de consultor no projeto para as questões sobre castas e solos de Portugal.