Rosa Ruiz, embaixadora das Bodegas Santiago Ruiz

Se há coisa que define a família Ruiz é a sua paixão pelo vinho. Um legado herdado de uma dinastia familiar que remonta ao bisavô de Rosa, Ángel, que fazia vinho em finais do século XIX. Uma tradição profissionalizada pelo pai quando, na década de 1980, depois de se reformar, fundou uma pequena adega perto da casa de família em San Miguel de Tabagón, O Rosal.

Sem que ela praticamente se apercebesse, a infância de Rosa foi passada entre vinhos. Durante os meses de verão, costumava ir de Vigo, onde nascera, até à casa de família em O Rosal. O avô deixara em herança ao pai a propriedade, onde Rosa e a irmã tratavam da vinha e colhiam as uvas para fazer o vinho que se bebia em casa, como se de uma brincadeira se tratasse.

Anos mais tarde, na década de 1980, Santiago Ruiz decidiu modernizar a adega, substituindo os tradicionais barris de madeira por cubas em aço inoxidável. Um processo pioneiro que foi, na época, revolucionário e marcou um antes e um depois na história dos vinhos galegos.

Com tais antecedentes, foi praticamente impossível a Rosa não se dedicar ao vinho. Uma paixão que se desencadeou pouco a pouco. Primeiro, foram os fins de semana passados na adega a ajudar o pai com a papelada, tornando-se gradualmente sua assistente e aprendendo com ele as técnicas e segredos da produção de vinho em O Rosal. Foi uma aprendizagem que incutiu nela um profundo amor e respeito pelo vinho.

Hoje, Rosa é a embaixadora histórica da marca da adega. Uma visita com ela ao museu vitivinícola em San Miguel de Tabagón recorda-nos constantemente o importante papel que o pai desempenhou na criação da DOC Rías Baixas. Ela é uma anfitriã experiente, que vai conversando amenamente ao percorrer esta adega calma e tranquila, onde é possível descobrir como o vinho era feito tradicionalmente na região e aprender mais sobre o legado deixado por Santiago Ruiz. Durante a visita, Rosa conta muitas histórias interessantes da vida do pai e mostra com orgulho os inúmeros comentários que lhe foram dedicados ao longo dos anos no livro de visitas.

Rosa Ruiz, um monocasta Albariño proveniente de cepas velhas

Os mais de 30 anos de dedicação total à adega mereciam uma homenagem. Foi assim que surgiu o Rosa Ruiz, um vinho que representa o futuro da adega, um monocasta Albariño proveniente das cepas velhas entre as quais Rosa brincava na sua juventude. Um vinho branco cheio de significado, um novo capítulo na história desta dinastia familiar que se dedicou à cultura do vinho ao longo de várias gerações.

Mais notícias